Covid-19: Todos os funcionários e colaboradores dos lares de idosos do concelho de Loulé que realizaram testes à Covid-19 durante este último mês acusaram resultado negativo.

Numa iniciativa de complementaridade com o governo, que através do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social está a realizar testes aos funcionários de todas as instituições com 50 ou mais utentes, a autarquia de Loulé atribuiu um subsídio de 38 mil euros às restantes instituições para também procederem, nos mesmos moldes, a este rastreio.

Neste momento já foram realizados 80 testes mas, no total, são 306 os funcionários de 11 instituições que irão participar nesta iniciativa. Este processo irá desenrolar-se nos próximos três meses, um quarto dos funcionários será testado semanalmente, garantindo, assim, uma amostra mensal da realidade epidemiológica em cada lar de idosos.

Todos os testes estão a decorrer no Drive-Thru do Parque das Cidades e realizados pelo Algarve Biomedical Center (ABC), sendo que a parte operacional está a ser assegurada pelas próprias instituições.

Também os funcionários e colaboradores dos lares da Santa Casa da Misericórdia de Loulé, Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime e Associação Social e Cultural da Tôr, as IPSS que contam com um número mais elevado de utentes e, como tal, integram a lista de instituições em que a testagem está a ser suportada pelo governo central, testaram negativo à Covid-19.

No entender do presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, “estes resultados são, para já, uma excelente notícia e deixam-nos a todos bem mais descansados até porque os lares de idosos têm sido desde o início da pandemia o nosso principal foco de preocupação. É nestes estabelecimentos que se encontram as pessoas mais vulneráveis e que queremos proteger, numa altura em que a situação está a agravar-se e em que temos de evitar, a todo o custo, que se repitam situações como a que aconteceu no Lar da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, no passado mês de abril”.

#covid-19 #loulecuidadesi #loulenãopara 

Fonte: CML